Skip to content

CDC: Recomendação sobre máscaras baseada em estudo com manequins gera críticas

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) divulgou um estudo que analisa o potencial aumento da eficácia das máscaras de duas forma: o uso de duas máscaras e o uso de uma máscara bastante mais justa à face. No entanto, apesar de ter por detrás uma instituição de saúde governamental, este estudo está a gerar algumas críticas pela falta de aplicabilidade à realidade diária.

O que diz o estudo?

Durante janeiro de 2021, o CDC realizou simulações experimentais para avaliar até que ponto duas modificações às máscaras de procedimento médico poderiam melhorar o ajuste destas máscaras, e reduzir a exposição do recetor a um aerossol de partículas de gotículas respiratórias simuladas.

1) Usar uma máscara de pano sobre uma máscara de procedimento médico (máscara dupla)

2) Apertar os elásticos com nós, prender e acomodar o material extra perto do rosto para aproximar mais a máscara do rosto.

Estas experiências baseadas em laboratório realçam a importância de uma boa adaptação para otimizar o desempenho da máscara”, diz o CDC. Os testes, “feitos em manequins expostos a aerossóis potencialmente infeciosos num laboratório”, concluíram que a exposição diminuiu cerca de 95% quando usavam máscaras bem ajustadas à cara.

As críticas

Os mais críticos alegam que este não é um estudo completo, que não tem por base um ensaio aleatório controlado e que não envolve seres humanos nos seus ambientes normais. Existem muitas variáveis e potenciais efeitos secundários que não podem ser replicados através de experiências com manequins.

O forte ajuste da máscara à cara não consegue medir, por exemplo, níveis de desconforto, níveis de oxigénio, eventuais perturbações à respiração ou outros efeitos secundários. Para além disto, foi apenas testada uma combinação e um tipo de máscara (de pano e médica).

O próprio estudo do CDC indica que podem existir algumas limitações nestes testes, mas que o objetivo é melhorar a forma como as pessoas usam as máscaras:

Estas experiências foram conduzidas com um tipo de máscara médica e um tipo de máscara de pano comercialmente disponíveis. As conclusões destas simulações não devem ser generalizadas à eficácia de todas as máscaras médicas ou de pano, nem interpretadas como sendo representativas da eficácia destas máscaras quando usadas em cenários do mundo real.”

“Estas experiências não incluíram quaisquer outras combinações de máscaras, tais como pano sobre pano, máscara médica sobre máscara médica, ou máscara médica sobre pano.”

Estas descobertas podem não ser generalizáveis às crianças devido ao seu tamanho mais pequeno ou aos homens com barba e outros pelos faciais, que interferem com o ajuste. Embora o uso de máscara dupla ou com nó possam otimizar o ajuste e melhorar o desempenho da máscara para proteção do utilizador, a máscara dupla pode impedir a respiração ou obstruir a visão periférica para alguns utilizadores, e o nó pode alterar o formato da máscara é já não cobrir completamente o nariz e a boca de pessoas com rostos maiores.”

Novas recomendações

Apesar de tudo, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA recomendou a utilização em simultâneo de duas máscaras para evitar o contágio pelo SARS-CoV-2. De acordo com as diretrizes anunciadas, é recomendada a utilização de uma máscara reutilizável por cima de uma cirúrgica (que é descartável).

Os resultados deste estudo foram amplamente divulgados pela imprensa norte-americana e internacional, incluindo a portuguesa, em artigos que sublinhavam que o uso de duas máscaras poderia impedir mais eficazmente a propagação do novo coronavírus.

Em entrevista ao Público, Graça Freitas revelou que a recomendação de uso de duas máscaras está em cima da mesa, com dois grupos de peritos a estudar a hipótese que já foi adotada nos Estados Unidos da América.

Gostou deste artigo? Apoie-nos no Patreon!

Comentários

Sem comentários ainda. Adicione o seu abaixo!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Inscreva-se na nossa newsletter