Skip to content

Caso Peng Shuai: Associação de Ténis Feminino suspende torneios na China

Na sequência do caso da tenista Peng Shuai que recentemente revelou ao mundo ter sido abusada sexualmente pelo ex-vice-primeiro-ministro do Partido Comunista da China, a Associação de Ténis Feminino decidiu suspender os torneios no país.

Peng Shuai, de 35 anos, partilhou no início de novembro, numa publicação que foi retirada imediatamente da rede social chinesa Weibo, ter sido abusada sexualmente pelo ex-vice-primeiro-ministro do Partido Comunista Chinês, Zhang Gaoli.

Após a publicação polémica contra uma figura política proeminente do partido comunista no poder na China, a atleta pareceu desaparecer durante várias semanas.

Apesar de ter reaparecido a 21 de novembro num restaurante de Pequim e num torneio de ténis na capital chinesa, de acordo com vídeos publicados pelos meios de comunicação oficiais chineses, e de já ter falado, através de videoconferência, com o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, a Associação de Ténis Feminino (WTA) levanta dúvidas quanto à liberdade da atleta.

“Tenho sérias dúvidas que esteja livre, segura e não esteja sujeita a censura, coação e intimidação. A WTA foi clara quanto a isto e repete a necessidade de uma investigação transparente no caso da acusação de abuso sexual de Peng Shuai”, prossegue o comunicado de Steve Simon.

Suspensão de torneios na China

Para a WTA a situação é “inaceitável” e por isso decidiu suspender todos os torneios do circuito na China, incluindo Hong Kong.

O COI também está a ser cada vez mais pressionado para esclarecer o que está a acontecer com Peng Shuai, dado que os Jogos Olímpicos de inverno começam em Pequim, em fevereiro.

Steve Simon disse à NBC News que a única forma de resolver esta questão é através de uma “investigação transparente e completa sobre as alegações, sem qualquer censura”.

A WTA optou por uma abordagem mais forte que os verá suspender os torneios que estavam programados para serem disputados na China em 2022, caso não haja um esclarecimento transparente sobre a alegação.

Peng Shuai, que já foi líder do ‘ranking’ mundial da variante de pares, venceu 23 títulos de pares femininos, entre os quais Wimbledon, em 2013, e Roland Garros, em 2014.

Comentários

Sem comentários ainda. Adicione o seu abaixo!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Inscreva-se na nossa newsletter