Skip to content

Cofundador Wikipédia: Empresa censura e faz propaganda

Segundo  Larry Sanger, um dos fundadores da Wikipédia, a empresa e a comunicação social mainstream assumem que há apenas uma “versão legítima da verdade em cada questão controversa”.

Numa entrevista ao UnHerd explica que nem sempre foi assim. No início, a Wikipédia estava comprometida com a neutralidade.  Na altura eram apresentados múltiplos pontos de vista sobre cada notícia polémica.

Caso isso não acontecesse existe um espaço, chamado de “talk pages” onde as pessoas “batalhavam entre si” e tinham a possibilidade de expor os seus pontos de vista.

“Não havia na altura pessoas sentadas constantemente num artigo a tentar que dissesse o que queriam que dissesse. Isso já estava a acontecer, mas nada aproximadamente tão mau como hoje em dia.”

Agora, refere que, especialmente nos últimos 5 anos, a Wikipédia mudou bastante.

Alterações na Wikipédia

O primeiro ponto de mudança que refere é a dificuldade em se colaborar com o projeto e a falta de transparência de quem define os artigos.

“Em primeiro lugar, é realmente difícil participar. Em vários assuntos, se se vai lá e se faz alguma edição, será avisado externamente se não for simplesmente expulso”.

Esta alteração é justificada pelo facto da Wilkipédia ter muita influência a nível mundial e há um “grande, desagradável e complexo jogo a ser jogado nos bastidores para fazer o artigo dizer o que alguém quer que ele diga”.

“Há empresas como a Wiki PR, onde escritores e editores pagos entram e mudam artigos. Talvez haja alguma forma de fazer com que este sistema funcione, mas não se os jogadores que estão envolvidos e que estão a ser pagos não forem identificados pelo nome — na verdade, deveriam ser identificados pelo nome e dizer “representamos esta empresa” se estiverem oficialmente registados numa espécie de empresa de edição da Wikipédia. Mas não têm de fazer isso porque não há o requisito de nomes reais.”

O segundo grande ponto de mudança é a submissão, além de a uma linha política, ao establishment em geral.

“O que é irónico considerando as suas origens, (criada) por uns libertários. Que, pelo menos no princípio, eram realmente tolerantes e abertos a todo o tipo de visões anti-establishment estarem incluídas nos artigos.”

Submissão a uma narrativa única   

Larry Sanger dá vários exemplos:

– Na política em que “há muitas pessoas motivadas para fazer um artigo mais neutral, politicamente neutro, mas não lhes é permitido” e “se uma controvérsia não aparece nos meios de comunicação de centro-esquerda, então não vai aparecer…”;

– Na pandemia, em que apenas são apresentadas as perspetivas do Fórum Económico Mundial, da Organização Mundial de Saúde, do CDC e de vários outros porta-vozes do establishment, como Fauci. Os especialistas reputados com visões diferentes da narrativa oficial são simplesmente censurados, tal como fazem as grandes plataformas digitais;

– Na medicina oriental, que é basicamente identificada como charlatanice;

– Na representação do cristianismo, apenas apresentado do ponto de vista “liberal”;

– Na “liberalização de drogas”, vista apenas da perspetiva progressista e libertária.

Sanger salienta que não se trata de serem defendidos outros pontos de vista, apenas de serem explicados e representados nos artigos. O que não acontece atualmente.

A responsabilidade das grandes multinacionais digitais

Segundo o fundador da Wikipédia, para o processo de imposição de uma “narrativa única” muito contribuíram as grandes redes digitais.

“Confiámos em plataformas como Facebook, Twitter e YouTube com os nossos dados, e permitimos que essencialmente tomassem conta do mundo dos media. Confiámos-lhes a nossa liberdade e privacidade, que basicamente não nos iam fechar. Mas esfaquearam-nos pelas costas, essencialmente.”

Isenção e propaganda

Para Sanger é fundamental existir neutralidade em três áreas: jornalismo, “conteúdo de referências” (como o Wikipédia) e livros didáticos. É isso que as pessoas supõem quando consultam esses conteúdos.

“As pessoas querem ter as ferramentas para pensarem sobre um assunto… Quando estamos a tentar obter alguma informação básica para compreender um tema, não queremos ser conduzidos pelo nariz, certo? Somos indivíduos livres que queremos decidir por nós mesmos..”

“Se alguém é o tipo de pessoas que só quer saber o que a sua religião acredita sobre um assunto, se apenas quer ouvir o que o seu partido pensa ou o que o ditador pensa, então está numa má situação, não é completamente humano nesse caso.”

“Em situações em que isso acontece, a palavra para o descrever é propaganda, quando é sistemático… E é o que realmente estamos a lidar com o Wikipédia.”

“Se colocamos uma versão da realidade, estamos em primeiro lugar a manipular o que toda a gente supostamente deve acreditar. Por outras palavras, estamos a fazer uma decisão por elas, enquanto enciclopedistas. E há alguma coisa errada nisso, mais uma vez tiramos o direito de decidir com base nas evidências existentes…”

Sanger, abandonou o projeto em 2007, descrevendo-o como “irreparavelmente estragado”.

A Wikipédia é o quinto maior site do mundo, com aproximadamente seis mil milhões de seguidores por mês. É a referência para praticamente todos os assuntos a nível global.

Gostou deste artigo? Apoie-nos no Patreon!

Comentários

Sem comentários ainda. Adicione o seu abaixo!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Inscreva-se na nossa newsletter