Skip to content

OMS: Covid pode ter infetado já 10% da população mundial. Boa ou má notícia para a taxa de letalidade?

A Organização Mundial de Saúde indicou que o número de casos Covid-19 em todo o mundo é muito superior, mas ainda não retificou a taxa de letalidade inicialmente estimada, em março.

Durante uma reunião do conselho Executivo, no dia 5 de outubro, Michael Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da Organização Mundial da Saúde, indicou:

As nossas atuais estimativas indicam que aproximadamente 10% da população mundial pode estar infetada com este vírus.”

Esta percentagem representa cerca de 780 milhões de pessoas, um número muito superior ao que está oficialmente referenciado pela Organização Mundial de Saúde e a Universidade John Hopkins – cerca de 38 milhões de casos Covid em todo o Mundo.

A nova previsão foi destacada como sinal de alarme pela imprensa internacional, mas não promoveu a revisão de outros indicadores associados como a taxa de letalidade entre os infetados (Infection Fatality Rate), colocada em março pela OMS nos 3,4%.

De acordo com a nova projeção avançada por Michael Ryan (outubro 2020), e com o número de mortes atribuída à Covid-19 até ao momento (1 035 708) poderemos inferir uma taxa de letalidade de aproximadamente 0,15%, uma percentagem bastante inferior aos 3,4% inicialmente estimados.

Este valor pode ser calculado dividindo o número de mortes pelo total das pessoas infetadas. Para chegarmos a um número ainda mais rigoroso, consideramos também a estimativa de pessoas com a doença ativa que virão a falecer. Como existem variações ao longo da semana, considerámos a média da primeira semana a seguir à declaração e multiplicámos por 28 dias – limite que alguns países dão para considerar morte por Covid. Neste caso, as mortes dentro dos 28 dias podem incluir casos registados fora do período em análise, o que poderá inflacionar um pouco os valores da letalidade, mas não de forma significativa.

Esta percentagem está alinhada com a previsão de John Ioannidis (universidade de Stanford), que publicou recentemente um artigo onde coloca a taxa de letalidade entre os 0,15% e o 0,20%, assumindo variações.

Na faixa etária abaixo dos 70 anos, a taxa de mortalidade por infeção situa-se entre os 0,03% e os 0,04%.

É importante sublinhar que esta é uma taxa global. Ou seja, o valor específico de cada país pode variar, de acordo com o local, a população, a realidade socioeconómica, o perfil clínico, o sistema de saúde, as medidas covid adotadas, entre outros cenários.

Iaonnidis e outros investigadores de Stanford foram dos primeiros a avisar que o número de casos não detetados podia ser substancialmente superior. Por isso, começaram desde muito cedo a desenvolver testes serológicos para detetarem anticorpos e perceberem que percentagem da população tinha sido infetada. Desde os primeiros estudos que confirmaram as suspeitas de muitos casos não detetados, e de que a letalidade seria incomparavelmente inferior à inicialmente estimada.

A estimativa da OMS agora avançada significa que existe uma proporção de cerca de 1 para 20 entre os casos detetados e as pessoas que foram infetadas pelo vírus.

Gostou deste artigo? Apoie-nos no Patreon!

Comentários

Sem comentários ainda. Adicione o seu abaixo!


Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Inscreva-se na nossa newsletter